Continue a navegar para aceder aos resultados sugeridos

    Como os Alojamentos de linha da frente ajudaram 3 respondentes ao COVID-19

    Inspire-se com estes enfermeiros que procuraram alojamentos junto de anfitriões da Airbnb.
    Por Airbnb em 7 de jul. de 2020
    Vídeo de 5 minutos
    Atualizado em 27 de abr. de 2021

    Destaques

    • O programa Alojamentos de linha da frente oferece espaços para respondentes ao COVID-19 que, de outra forma, teriam dificuldade em encontrar um alojamento

    • Uma enfermeira em Itália diz que a casa que encontrou era um "porto seguro" para recarregar baterias

    • Uma enfermeira viajante do Mississippi ficou grata por interagir com o anfitrião enquanto trabalhava no Michigan

    O programa Open Homes é agora a Airbnb.org

    O programa Open Homes da Airbnb evoluiu para Airbnb.org, uma nova organização sem fins lucrativos 501(c)(3). Obrigado por criar a comunidade Open Homes connosco. Estamos entusiasmados por fazer parte deste novo capítulo.

    Muitos anfitriões estão a oferecer alojamentos a profissionais de saúde e socorristas que estão a ajudar a combater a propagação do COVID-19 através do nosso programa Alojamentos de linha da frente. Aqui estão as histórias inspiradoras de três respondentes ao COVID-19 que encontraram casas para viver enquanto realizavam o seu trabalho crítico.

    Um alojamento relaxante enquanto trabalha em Roma

    Chiara é uma enfermeira em Itália que foi para Roma durante o auge da crise do país. Ficou surpreendida ao ver a cidade virtualmente vazia. Quando a visitou antes, era uma cidade caótica e cheia de vida; e agora era uma cidade fantasma.

    Mas não estava lá como turista: tinha um papel crítico a desempenhar ao trabalhar num hospital que tratava pacientes com COVID-19.

    O trabalho era diferente de tudo o que já tinha experimentado antes, e as longas horas tiveram um impacto psicológico. Preocupava-se constantemente com a contaminação, e cuidava dos pacientes enquanto fazia o trabalho emocional de servir de ponte entre eles e as suas famílias.

    Depois dos seus longos dias, Chiara precisava de um lugar para relaxar e encontrou-o na Airbnb. "A iniciativa da Airbnb ajudou não só a mim, mas a muitos outros profissionais que lutam contra esta emergência", diz Chiara. "Ter uma casa neste momento representa um porto seguro para mim, um lugar onde posso voltar depois de um dia inteiro de trabalho duro."

    Chega a casa, respira e recarrega baterias para poder voltar mais forte e assumir o trabalho do dia seguinte. "Às pessoas que estão a pensar abrir as suas portas para os profissionais de saúde, eu diria 'façam-no’ porque precisamos de vocês. Precisamos de um alojamento, um telhado sobre as nossas cabeças, é crucial."

    Um lugar tranquilo para se auto-isolar no Canadá

    Ji vive na Colúmbia Britânica, Canadá, com os seus pais idosos, que a ajudam a cuidar da sua filha. Passou muitas noites sem dormir à procura de opções de habitação acessíveis para se isolar da família. A decisão foi difícil, mas ela sabia que era a coisa certa a fazer.

    Ji nota que, embora os profissionais de saúde tenham a obrigação profissional de cuidar dos pacientes, "as famílias não são obrigadas de forma alguma a serem sujeitas a riscos adicionais." Por isso, para além do trabalho difícil no hospital, estava preocupada com a forma de manter a distância da família para evitar deixá-los doentes; particularmente o pai, que tem um sistema imunológico debilitado. Mudar-se foi a melhor opção.

    Sentia-se cada vez mais desesperada e estava a considerar viver no seu carro quando soube do programa da Airbnb. Logo após ter verificado o seu estatuto de enfermeira de linha da frente, encontrou um lugar na Airbnb para chamar de casa. O seu alojamento era perto do hospital com um anfitrião que lhe oferecia apoio 24/7, caso precisasse.

    "Sinto muita gratidão para com o anfitrião por me ter convidado a usar a sua casa fantástica, bem abastecida, segura e sossegada", diz Ji. "Posso descansar confortavelmente e sentir que estou a fazer o meu melhor para proteger aqueles que amo e ir trabalhar com sentimentos positivos."

    Uma casa longe de casa no Michigan

    Brandi é uma terapeuta ocupacional no Mississippi. Antes da pandemia, concentrou-se em ajudar os pacientes a alcançar a independência funcional enquanto reabilitavam de um trauma médico, distúrbio neurológico ou doença crónica.

    Agora, o seu trabalho mudou para ajudar esses mesmos tipos de pacientes, mas que também têm COVID-19 e correm maior risco de ter um episódio grave da doença. Ajuda à sua mobilidade nos estágios iniciais, bem como a recuperação, e sua experiência significa que também viaja para ajudar os pacientes.

    Brandi, uma terapeuta ocupacional no Mississippi.

    Estava à procura de alojamento no Michigan, para onde tinha viajado para trabalhar, mas tinha ouvido falar de profissionais de saúde a quem tinha sido negado alojamento por estarem a trabalhar nas linhas da frente. Ficou grata por ter acesso ao programa Alojamentos de linha da frente da Airbnb, onde rapidamente interagiu com o seu anfitrião, John, que lhe forneceu "um ambiente limpo e um alojamento seguro."

    Brandi incentiva outros profissionais de saúde a usar os Alojamentos de linha da frente porque "existem muitas opções próximas das suas instalações... e o anfitrião estará disposto a recebê-los de braços abertos."

    Junte-se a uma comunidade em crescimento que desbloqueia o poder da partilha durante os momentos de necessidade.

    As informações contidas neste artigo podem ter sido alteradas desde a sua publicação.

    Destaques

    • O programa Alojamentos de linha da frente oferece espaços para respondentes ao COVID-19 que, de outra forma, teriam dificuldade em encontrar um alojamento

    • Uma enfermeira em Itália diz que a casa que encontrou era um "porto seguro" para recarregar baterias

    • Uma enfermeira viajante do Mississippi ficou grata por interagir com o anfitrião enquanto trabalhava no Michigan

    Airbnb
    7 de jul. de 2020
    Esta informação foi útil?